WE SHIP WORLDWIDE- WHATSAPP:(35)999460123
Os Gatos da Factoria: Mina.

Os Gatos da Factoria: Mina.

Quinta feira, e você mais conhecer a história de mais um dos nossos gatos. Hoje vamos falar da Mina, que tem nome de fêmea, porém é macho. Mas isso, explicamos no decorrer do post, ok? A Mina é a sexta gata da família, chegou quase que junto com o Mojica. Mas antes de falar da Mina, uma foto pra mostrar o tanto que é lindona:


A Mina é da época do escritório da Factoria la no centro da cidade. Lembram quando contamos que assim que pegamos o Mojica, ele sumiu por alguns dias e depois o achamos de novo? Então, nesse meio tempo, a Mina chegou. Eu (Diego) estava em casa, e escutei um barulho vindo do porão. Era mais ou menos 1h da manhã isso. Desci para ver o que era e vi um vulto escuro passando e escondendo embaixo de uma prateleira. Pensei comigo "Não é possível que seja o Mojica, será que ele achou minha casa?" O escritório era um pouco longe de casa, então achei meio difícil que fosse ele. Mas estava com esperança. Me abaixei, olhei embaixo da prateleira e não era o Mojica, e sim, uma filhotinha muito, mas muito pequena mesmo, que provavelmente alguém havia acabado de abandonar ali em casa, e assustada, ela desceu e se escondeu no porão. Tentei pegar, mas ela estava bastante brava, por estar com medo. Coloquei um pouco de ração e ela logo se acostumou e deixou que eu a pegasse. Não poderia de forma alguma deixar ela ali, sozinha. Levei pro meu quarto. Isso já era umas 2h da manhã. Eu morrendo de sono, torcia pra que ela ficasse quieta. Mas, não rolou. Ela subiu em um armarinho que ficava no canto, e miava, miava, miava sem parar. Peguei ela e coloquei na cama comigo. 10 minutos de sossego, calminha, meio que quase dormindo já. Mas, logo em seguida, virou uma louca. Tentava se enfiar debaixo de mim na cama, mordia meus dedos e etc. 

Aqui abaixo, uma foto dela na noite que ela chegou.


O dia amanheceu, e eu tinha que ir para o escritório. Peguei ela e coloquei pra fora do quarto. Chegando do almoço, fui procurar e não encontrava ela em lugar nenhum. Achei até que tivesse sumido, ou alguém tivesse pegado. Mas, ouvi um miado bem fino, e procurei no porão, ela estava no meio de um monte de coisa, na prateleira, quase que camuflada. Não aguentei deixar ela ali, e levei ela pro escritório. E lá ela ficou por uns 2 dias sozinha, até que encontramos o Mojica. Ele chegou, viu ela e ficou morrendo de raiva. Tipo: "Porra, mas já me substituíram? Fui so dar um rolê". Mas acabou acostumando no outro dia.

Aqui abaixo, a Mina, no primeiro dia no escritório, um tanto adaptada e folgada já:



A Mina era tão sem vergonha, que saia correndo da Carol e entrava nessa caixinha de barriga pra cima, só pra ganhar um carinho. Tá certa ela, merece mais é carinho mesmo. A Mina e o Mojica, ficaram pouco tempo neste escritório. Como contei semana passada, nos mudamos para a casa / sede nova e eles vieram junto. No começo, era só amor. Um não desgrudava do outro. Era um amor de Titanic, Rose e Jack.



O problema, é que a Rose da história (no caso, a Mina) não era tão fêmea assim. Certo dia a levamos na nossa veterinária e deixamos ela lá, para castrar, pra não correr o risco de engravidar do Mojica. Chego em casa, a veterinária me liga morrendo de rir e diz: "Diego, a Mina é macho." Eu não acreditei, como assim a Mina era MACHO? A veterinária me disse que era macho MESMO. O incrível é que as bolinhas ''dela'' ainda não tinham descido, então achávamos que era fêmea. Na verdade, a Carol já havia me falado: "A Mina eu acho que é macho hein amor" Mas eu: "Que macho o que, não tem bolinha, isso ai é a uretra dela, não o 'pipi' ''. Bom, ela estava com a razão. HAHA.
Como a Mina já estava com a gente a algumas semanas, não tinha mais como mudar o nome. Nem ao menos, se referir a ela como gato. A Mina é mais fêmea que nossas outras gatas, sério. Então, ficou Mina. A GATA MINA, que na verdade é macho. :)

O tempo passou, eles (Mina e Mojica) cresceram e ficaram muito tempo se dando bem. Até que um dia, chegou a Coco e mudou tudo isso - vamos contar sobre a Coco semana que vem. Bom, a Coco chegou e essa era realmente fêmea mesmo. Adotamos ela. No começo, os três se deram bem. Mas depois, Mina e Mojica que são dois machos, começaram a ''duelar'' pela Coco. No começo achamos bonitinho, eles pareciam estar brincando e falando aquele idioma louco dos gatos que ninguém entende. Mas um dia, eles brigaram feio. Por algum motivo as coisas saíram do controle e o Mojica fez um estrago grande no rabo da Mina, que começou a sangrar muito, muito mesmo. Como não conseguimos estancar o sangue, chamamos o veterinário que atende emergência. Ela já havia perdido bastante sangue, então precisou ser levada na mesma hora para o consultório dele. Lá, ela foi sedada e vimos o estrago. Foi uma mordida MUITO funda, que precisou de suturação no músculo e ponto na pele. Como já estava sedada, decidimos já castrar ela. Eu sou bem fracão com isso, comecei a ver e passei mal. Mas a Carol, ah, a Carol simplesmente AJUDOU o veterinário na castração, segurando os testículos da Mina com uma pinça. Sério, eu não daria conta.

A Mina é uma gata muito, mas muito carinhosa e manhosa. Pede carinho o tempo todo. Se esfrega, se joga no chão de barriga pra cima... O melhor de tudo, é que ela é super amiga de todos os outros gatos nossos, menos do Mojica, porque ela ainda é cabreira com ele. Enfim, a Mina é uma gata linda demais, tanto na aparência quanto no jeito meigo e delicado dela. Que na verdade, é ele. haha. 


Agora, vamos mostrar um pouco do que estão sendo esses 2 anos que a Mina já está com a gente:

A Mina ja mordeu muita tag...




Já tomou muitos banhos... 




Já tentou tirar selfie...




Já foi modelo pra ilustração, que futuramente vai virar estampa em alguma peça nossa... 




Já se divertiu na festa da Coco...




Já foi fingida que estava sendo enforcada...




Já dormiu em uns lugares meio estranhos e achou ruim quando foi acordada...




Virou Gremlin...




E ja dormiu bem tranquila nos braços da mãe...





Então pessoal, essa é uma parte da história da Mina, e uma parte das fotos dela. Esperamos que tenham gostado de conhecer a história de mais um dos nossos. Semana que vem, na quinta, tem a Coco.

Não se esqueça: Adotar é um ato de amor.






Deixe um comentário